terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

A LIÇÃO DE ANATOMIA DO TEMÍVEL DR. LOUISON

Eis aqui um livro nacional que descobri em um evento literário que houve me Foz do Iguaçu ano passado. Por algum motivo estranho, só se fica sabendo de livro nacional em feiras. E eu confesso: acho difícil comprar livros nesses eventos. Isso porque eu conheço os autores e depois fico com medo do que vou achar do livro. E se eu não gostar? É por isso que também fico super ansiosa se alguém quer o meu livro. Tipo vai que alguém encontra nas entrelinhas alguma falta irreparável de caráter... Rs. Mas estou trabalhando isso. O resultado é que voltei desta feira com quatro livros nacionais sendo este o segundo que consegui finalizar a leitura. 
Durante a feira o autor falava tranquilamente de um universo Steampunk e eu só balançava a cabeça tentando descobrir o que diabos era isso. Na verdade, eu já conhecia o gênero de alguns animes e filmes. Só não tinha ligado o nome à figura. Olhei a capa e me lembrei de gibis antigos como os Contos da Kripta e fiquei imaginando o quanto de terror existia naquelas 303 páginas. 
Enfim comecei a ler o primeiro capítulo com bastante receio. Um livro Steampunk com personagens da literatura nacional brasileira e vencedor de um concurso. Os nomes são familiares mas já não lembro muito de boa parte dos personagens literários dos livros obrigatórios de escola. Será que isso seria um problema?
Encontrei logo de cara um nome familiar: Isaías Caminha. Mas parou por ai. Não lembro de onde ele é. Lendo o primeiro capitulo veio o primeiro estranhamento. Uma escrita elaborada nos apresentando a um universo que é o Brasil e não é o Brasil. Aos poucos foi ficando evidente que o meu estranhamento não é só meu. É também do personagem. E nisso nos encontramos. Acabei deixando que ele me apresentasse suas estranhezas e quando nos tornamos bons amigos, ele se despediu! 
Fiquei muito brava. Como assim? Dei um tempo na leitura. Fui tomar um sorvete. Ai voltei e curiosa reiniciei de onde parei. E então entendi. 
O livro não é um livro com uma única voz. É um coral de vozes, de personagens, de sentimentos que vão se apresentando como um mosaico permitindo ao leitor que como um cúmplice vá construindo a ideia completa. A genialidade da escrita está aí. Pegar uma história comum e reeditá-la de uma forma tão original que aos poucos as vozes vão ganhando rostos e você se sente como um investigador tentando desvendar um crime. 
Para os que gostam desse gênero de escrita, sinta-se desafiado a vivenciar esse estranhamento divertido que é a leitura dessa obra nacional. Um livro realmente diferente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário