sábado, 30 de maio de 2015

Charutos de Ricota

6 folhas de repolho (aferventadas), 3 fatias de ricota picadas, 1 colher de sopa de arroz cru, 1 tomate picado, 1 cebola, salsinha picada, sal e pimenta a gosto.
Misture a ricota com a cebola, a salsinha, o sal, o tomate e o arroz. Com essa mistura, recheie as folhas de repolho e enrole. Coloque o molho de tomate.

Molho
4 tomates grandes maduros (sem semente e sem pele) picados bem pequeno, 2 dentes de alho picados, 1 cebola pequena picada, 2 colheres de azeite, 2 colheres de molho inglês, tempero a gosto.
Colocar em uma panela o azeite, a cebola e o alho. Fritar até que doure. Colocar os tomates, o molho inglês com os temperos a gosto. Cozinhar até formar um molho espesso, que será colocado nos charutos.
Rendimento: 6 pessoas.

sábado, 23 de maio de 2015

COISAS QUE A CIÊNCIA NÃO CONSEGUE PROVAR: NÃO VIVEMOS NA MATRIX

O filósofo francês René Descartes, no século 17, estabeleceu as bases do racionalismo. Ele começava duvidando de tudo, e depois ia restabelecendo as verdades com base na razão. As 3 conclusões a que chegou, que serviram de base a todo o resto, são bastante conhecidas: "Penso, logo existo", "Deus existe" e "O mundo existe". É sempre chato desapontar um gênio como Descartes, mas é muito difícil justificar cientificamente essas conclusões. Começando pela que talvez pareça mais óbvia: o mundo existe. O que nos garante que o mundo existe de verdade - e não é apenas uma simulação criada por computadores ou pelos nossos sentidos, como no filme MATRIX? Nada. É impossível provar cientificamente que essa ilusão, a Matrix, não existe. E isso acontece porque o método científico é freado já em sua primeira etapa: a observação. Nós observamos o mundo a partir dos nossos sentidos: visão, olfato, paladar, tato e audição. Só que eles nos enganam. Se estamos assustados, por exemplo, podemos ouvir barulhos que não existem. E, principalmente, não temos acesso direto à realidade - nossas sensações são produzidas pelo cérebro, que recebe e interpreta sinais e transforma o resultado em algo acessível pela consciência. Ora. Se o ser humano não consegue observar o mundo sem passar por esse filtro, não tem como provar se ele é real ou apenas uma ilusão. "E se a nossa civilização atingisse um estágio pós-humano (muito avançado) e começasse a rodar simulações de épocas anteriores? Como podemos saber se não estamos numa dessas simulações?" pergunta o filósofo Nick Bostrom, da Universidade de Oxford. Ele tem razão. Cientificamente, nada garante que não estajamos vivendo dentro da Matrix. 
Superinteressante - JUN/2010 - Salvador Nogueira

COISAS QUE A CIÊNCIA NÃO CONSEGUE PROVAR: ÓVNIS NÃO SÃO REAIS

Normalmente, quando alguém aparece com uma suposta foto de disco voador, o especialista consultado costuma ser um astrônomo. Eles conseguem refutar a esmagadora maioria das supostas aparições de óvnis (geralmente fraudes ou ilusões de ótica). Mas não conseguem descartar totalmente a questão. Tudo por causa do método científico. Quer ver? A primeira etapa, observação, transcorre sem qualquer dificuldade: existem, afinal, aparições de óvnis a ser estudadas. A segunda etapa, pergunta, também rola sem problemas. Basta formular a questão "as visitas de extraterrestres à Terra são reais?" Depois vem a hipótese: essas visitas não são reais porque as imagens são fraudes, ou apenas ilusões - existem certos fenômenos atmosféricos que podem produzir efeitos semelhantes aos de óvnis. Até aí, tudo bem. 
O problema vem na etapa seguinte, a experiência. Não é possível fazer um experimento controlado com ETs. Nem sequer podemos prever quando os supostos discos voadores vão aparecer no céu. Sem experiência, não há conclusão - e não se prova nada.
Se os aliens apenas deixassem um sinal físico de sua existência - um pedaço de nave, que pudesse ser testado em laboratório para provar sua origem extraterrestre -, a questão voltaria ao alcance da ciência. "O mais frustrante é que, mesmo após milhares de avistamentos de óvnis, nenhum produziu evidências físicas que pudessem levar a resultados reprodutíveis em laboratório", diz o físico Michio Kaku, da Universidade da Cidade de Nova York.
Superinteressante - Jun/2010 - Salvador Nogueira

COISAS QUE A CIÊNCIA NÃO CONSEGUE PROVAR: DEUS NÃO EXISTE?

Esta o biólogo inglês Richard Dawkins, um dos principais cientistas do mundo e líder de várias campanhas ateístas, adoraria dizer que pode provar. Afinal, dizer que alguma coisa acontece "por causa de Deus" é inadmissível para cientistas como ele. Porque essa é uma afirmação que, no fundo, realmente não explica nada. Mas é impossível provar que Deus não existe, porque o método científico só consegue testar a validade de hipóteses que, em tese, possas ser refutadas com provas. Se você levantar uma hipóteses como "a Terra é quadrada", por exemplo, pode testá-la mandando uma nave espacial fotografar o planeta. É uma prova objetiva. Já com a existência de Deus, não é assim. Como conseguir provas? Onde procurá-las? Mesmo se fosse possível criar um teste para medir a existência de Deus, ele poderia optar por não aparecer - ou simplesmente fingir que não estava lá. 
O problema para os pesquisadores é que a ciência, ao contrário da Igreja, não prova as coisas pela negativa. Quando o Vaticano quer provar um milagre usa a ausência de provas em contrário  - obtém laudos de cientistas dizendo que eles não conseguem explicar aquele fato. "Se os peritos afirmam que a ciência não pode explicar o acontecido, aquilo passa a ser reconhecido como intervenção divina", explica Luiz Carlos Marques, especialista em história religiosa da Universidade Católica de Pernambuco. 
O método científico não funciona assim. Como os cientistas costumam dizer, a inexistência de provas não é uma prova de inexistência. A única coisa que a ciência pode fazer é afastar Deus do nosso dia a dia, explicando o Universo e as coisas de forma lógica e racional em vez de atribuí-las a fenômenos sobrenaturais. Mas daí a dizer que Deus não existe, vai uma enorme distância. E, se Richard Dwakins não gostar, sempre pode tirar as calças e pisar em cima. 
SUPERINTERESSANTE - JUN/2010 - SALVADOR NOGUEIRA

COISAS QUE A CIÊNCIA NÃO CONSEGUE PROVAR: EXISTE VIDA APÓS A MORTE?


O corpo humano é feito de células. Quando elas morrem, você morre. Não existe alma nem reencarnação. Essa é a visão científica tradicional. Mas bilhões de pessoas acreditam em vida após a morte. Elas estão erradas? Não há como garantir que estejam. O fato é que a ciência não consegue provar que alma e reencarnação não existem, por um motivo simples: como testar algo que não deixa evidência palpável? Até hoje, ninguém conseguiu encontrar ou medir a alma das pessoas. E olha que isso já foi tentado. Em 1907, o médico americano Duncan MacDougall pesou 6 pacientes antes e depois da morte. Ele achava que se a alma existisse, quando a pessoa morresse, ela sairia do corpo, deixando o cadáver com um peso menor que o indíviduo tinha quando estava vivo. MacDougall comprovou sua teoria. Mas, como ele mesmo admitiu depois, duas das medições estavam erradas - e um cadáver voltou a recuperar o peso. Novos testes foram feitos nas décadas seguintes e nunca provaram a tese. Estudos mais recentes sugerem que o cérebro pode gerar alucinações, em que a pessoa sai do próprio corpo, durante a morte. Mas só porque a nossa mente cria ilusões de alma não quer dizer que ela de fato não exista. Sem testar a reencarnação em laboratório, é impossível provar que ela não é real. 

SUPERINTERESSANTE - JUN/2010 - SALVADOR NOGUEIRA

domingo, 10 de maio de 2015

70 filmes para estudar História

Que tal estudar todo o conteúdo de história geral jogado no sofá, comendo uma pipoquinha? Sim, é possível! Depois de tantas apostilas e livros, vale a pena parar para descansar e se divertir um pouco. E nada melhor do que um bom filme. Confira nossa lista de 70 filmes que vão lhe ajudar a repassar história para as provas!
Pré-história
A Guerra do Fogo
- 10.000 a.C.
- O Elo Perdido
Grécia Antiga e helenística
300
- Alexandre
- Tróia
Império Romano
- Asterix
- Gladiador
- Calígula
- Átila, o Huno
- Augustus
- Spartacus
Idade Média/Feudalismo
- O Nome da Rosa
- O Incrível Exército de Brancaleone
- Cruzada
- Coração Valente
- Joana D’Arc
- O Sétimo Selo
Grandes Navegações
- 1492 – A Conquista do Paraíso
- Cristóvão Colombo – A Aventura do Descobrimento
Absolutismo
- O Homem da Máscara de Ferro
- Cromwell
Reforma Protestante
- Lutero
Renascimento
- Dom Quixote
- Agonia e Êxtase
- Shakespeare Apaixonado
- Giordano Bruno
Revolução Francesa
- Danton
- Maria Antonieta
- A Queda da Bastilha
Revolução Industrial
- Tempos Modernos
- Germinal
Rússia pré-revolução e Revolução Russa
- Rasputin
- O Encouraçado Potenkim
- Reds
Segunda Guerra Mundial e nazismo
- O Grande Ditador
- A Vida É Bela
- Pearl Harbor
- A Queda
- A Última Bomba Atômica
- Cartas de Iwo Jima
- O Resgate do Soldado Ryan
- Arquitetura da Destruição
- Europa, Europa
Guerra Fria
- Dr. Fantástico
- Os 13 Dias que Abalaram o Mundo
- Boa Noite e Boa Sorte
- Intriga Internacional
- Topázio
- O Dia Seguinte

Guerra do Vietnã
- Platoon
- Apocalipse Now
- Corações e Mentes
Luta dos direitos civis dos negros
- Mississipi em Chamas
- Malcolm X

América Latina das décadas de 1950 e 1960
- Diários de Motocicleta
- Chove Sobre Santiago
- O Segredo de Seus Olhos

África no século 20
- O Último Rei da Escócia
- Diamante de Sangue
- Hotel Ruanda
- O Jardineiro Fiel
Crise do socialismo, fim da União Soviética
Adeus, Lênin
Conflito entre Israel e Palestina
Lemon Tree
- Paradise Now
- Promessas de um Novo Mundo
Terrorismo, guerras dos anos 2000
Guerra ao Terror
- Restrepo
- Caminho para Guantánamo
- Fahrenheit 9/11

sábado, 9 de maio de 2015

BATATA FRITA COM ÓLEO FRIO

Fritar batatas com óleo frio pode parecer maluco, mas não é. Foi testado e aprovado na Cozinha Experimental. Descasque e corte as batatas em palitos. Lave e seque-as bem, usando pano de prato ou papel absorvente. Coloque as batatas numa frigideira com o óleo frio. Não se assuste! O óleo deve estar frio mesmo. Tampe e leve ao fogo alto, por 10 a 15 minutos até que as batatas fiquem douradas. Escorra em papel absorvente. A vantagem da fritura em óleo frio é que as batatas ficam secas e crocantes. Além disso, não suja o fogão e nem faz fumaça na cozinha. 

terça-feira, 5 de maio de 2015

PÃO DE MILHO

3 xícaras de leite, 1 xícara de farinha de milho branca (batida no liquidificador ou processador), 1 e 1/2 colher (chá) de sal, 2 colheres (sopa) de manteiga, 3 ovos, 2 colheres (sopa) de fermento em pó.
Numa panela misture 2 xícaras de leite com a farinha de milho, o sal e a manteiga. Leve ao fogo, mexendo sempre e cozinhe até ferver, engrossar e soltar do fundo da panela. Retire do fogo, bata bem com uma colher de pau, acrescentando os ovos, o leite restante e o fermento em pó. Misture bem. Coloque numa fôrma refratária untada de 29x22 cm. Leve ao forno quente (230ºC), preaquecido, por 35 minutos, ou até dourarem. Dá 12 porções. 110 calorias por porção.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

BROINHA DE FUBÁ

2 xícaras de água, 6 colheres (sopa) de manteiga, 2 xícaras de fubá de milho, 1 xícara de farinha de trigo, 1 xícara de açúcar, 4 ovos, fubá para povilhar.
Coloque a água e a manteiga numa panela. Deixe levantar fervura. Junte, de uma só vez, o fubá e a farinha e mexa vigorosamente. Cozinhe sempre mexendo até formar uma bola que solte da panela. Coloque num processador, junte o açúcar e bata até misturar. Acrescente aos poucos os ovos e bata bem. Com uma colher de sopa faça bolinhas e passe-as no fubá. Coloque numa assadeira sem untar e asse em forno quente (200ºC), preaquecido, por uns 25 minutos ou até que a parte de baixo esteja dourada. Dá 60 broinhas. 60 calorias por unidade.

domingo, 3 de maio de 2015

ROCAMBOLE DE BATATAS

Para a massa: 1/2 kg de batatas, 1 ovo, 2 gemas, 1 xícara de leite, 6 colheres (sopa) de farinha de trigo. Para o recheio: 1/2 xícara de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de manteiga, 1/3 de xícara de queijo tipo gorgonzola esmigalhado, 2 xícaras de leite, 2 gemas, sal a gosto.
Cozinhe as batatas descascadas em água e sal até ficarem macias. Passe pelo espremedor. Acrescente os ingredientes restantes e espalhe a massa numa assadeira de 23x 35cm, untada com óleo. Asse em forno quente (200ºC), preaquecido, até começar a dourar e soltar dos lados da forma. Retire do forno, deixe amornar e desenforme sobre um pano ou folha de papel-alumínio. Reserve. Prepare o recheio enquanto a massa estiver no forno. Numa panela misture a farinha, a manteiga, o queijo e as gemas. Acrescente aos poucos o leite e misture bem. Leve ao fogo mexendo sempre até ferver e engrossar e aparecer o fundo da panela. Retire do fogo e deixe amornar. Espalhe sobre a massa de batatas assada. Enrole pela parte mais comprida, com o auxílio de um papel ou de um pano. Coloque numa travessa, sirva morno ou frio. Dá 8 porções. 243 calorias por porção.

sábado, 2 de maio de 2015

MAMINHA COM PIMENTA VERDE

1 maminha de 1,5 kg; 3 dentes de alho amassados; 1 colher (sopa) de sal; 4 colheres (sopa) de óleo; 2 colheres (sopa) de molho inglês, 2 xícaras de caldo de carne ou frango, 1 colher (sopa) de pimenta verde em conversa escorrida e amassada, 2 colheres (sopa) de farinha de trigo.
Tempere a maminha com o alho amassado e o sal. Unte uma assadeira com óleo, coloque a maminha e regue com o molho inglês. Asse em forno quente (200ºC) por 1 hora. Durante o cozimento vire e esfregue-se no fundo da assadeira para que fique bem dourada. Depois que a carne estiver assada, retire-a da assadeira. Acrescente o caldo de carne e raspe bem o fundo para retirar os resíduos dourados. Transfira aos poucos o caldo para uma panela, adicione a farinha e a pimenta verde e misture bem. Leve ao fogo e cozinhe até engrossar e ferver. Sirva com a carne fatiada. Dá 8 porções. 371 calorias por porção. 

sexta-feira, 1 de maio de 2015

MOUSSE DE ATUM

400g de atum fresco, cozido no vapor e moído, 1 xícara de salsão picado, 2 colheres (sopa) de mostarda, sal a gosto, 1 envelope de gelatina em pó branca, sem sabor (13g), 1/3 de xícara de água, 2 xícaras de creme de leite fresco, salsinha crespa e pepino para decorar.
Misture bem o atum, o salsão, a mostarda e o sal. Reserve. Dissolva a gelatina na água e deixe hidratar por 5 minutos. Leve ao fogo em banho maria, mexendo até derreter. Deixe amornar e misture com o atum. Bata o creme de leite até obter picos firmes. Misture delicadamente com o  atum. Coloque essa mistura numa forma de 17 cm de diametro e 9 cm de altura, untada com azeite. Leve à geladeira por no mínimo 4 horas. Desenforme e decore com a salsinha e o pepino. Dá 8 porções. 290 calorias por porção.