segunda-feira, 25 de julho de 2016

FARRAPO HUMANO

BRASIL PANDEIRO



"Brasil Pandeiro" é um samba-exaltação composto por Assis Valente para até então amiga e parceira Carmen Miranda. A Pequena Notável, recém-chegada, depois de enorme sucesso nos Estados Unidos,em 1940, rejeitou a letra. Valente ficou magoado, mas a canção adquiriu grande sob a regravação dos Anjos do Inferno. No começo dos anos 1970, foi regravada com grande sucesso pelos Novos Baianos. Assis Valente já havia falecido.

terça-feira, 29 de março de 2016

ADSTRINGENTE CASEIRO

Peles mistas,oleosas ou com acne costuma sofrer ainda mais porque os poros estão abertos. Uma receita simples é lavar o rosto com sálvia. Você vai precisar de:
1/2 xícara de chá de folhas de sálvia (fresca, orgânica e bem lavada), 225 ml de água filtrada.
Leve a água ao fogo até levantar fervura; Acrescente a sálvia e apague a chama. Abafe por 10 minutos. Coe, espere esfriar eleve em uma garrafa com tampa à geladeira. Limpe o rosto de manhã e à noite com o líquido gelado.

segunda-feira, 28 de março de 2016

BOLO DE GENGIBRE

1 e 1/2 xícara de chá de farinhade trigo ou integral, 1 e 1/2 colher de chá de fermento em pó, 1/2 xícara de chá de maisena, 3 colheres de chá de gengibre fresco ralado, 3/4 de xícara de manteiga, 1/2 xícara de chá de açúcar branco ou mascavo, 3 ovos, 1 colher de sopa de canela em pó, 1 colher de sopa de noz-moscada ralada. 
Peneire a farinha com o fermento, a canela e a noz moscada. Junte o gengibre ralado. Em outra vasilha, bata a manteiga com o açúcar. Junte as gemas, uma a uma, batendo bem. Acrescente a farinha com os temperos e misture cuidadosamente. Bata as claras em neve separadamente e acrescente à mistura, mexendo de leve. Coloque a massa numa fôrma untada e leve ao forno pré-aquecido. Asse em temperatura média por 40 minutos. Cubra com glacê ou geléia de frutas vermelhas. Rende cerca de 13 pedaços. 

domingo, 27 de março de 2016

GORI (PICLES DE GENGIBRE)

Os japoneses saboreiam o gari para limpar o paladar e prepará-lo para os diferentes tipos de sushi.
100g de gengibre descascado e cortado em lâminas finas, 2 xicaras de água, 1/2 colher de chá e mais uma pitada de sal marinho, 1/2 xicara de vinagre de arroz, 1 e 1/2 colheres de sopa de açúcar ou mel, 1/2 colher de chá de vinagre de umeboshi (ameixa salgada) ou shoyu (molho de soja).
Coloque as fatias de gengibre em uma vasilha de vidro e adicione a água. Deixe descansar por 30 minutos. Escorra a água, coloque-a em uma panela e leve ao fogo. Assim que ferver, adicione o gengibre e deixe ferver novamente. Escorra a água e espere o gengibre esfriar. Leve-o de volta à vasilha de vidro e salgue ligeiramente com uma pitada de sal marinho. Em uma panela, ferva ligeiramente o vinagre, o açúcar, o sal marinho e o vinagre/molho shoyu, até dissolver. Derrame a mistura quente sobre o gengibre e deixe descansar durante pelo menos 1 hora antes de servir. A conserva dura meses guardada na geladeira. Rende 1 xícara. 

sábado, 26 de março de 2016

AS 9 NECESSIDADES BÁSICAS DO SER HUMANO


SUBSISTÊNCIA - É ter onde morar, o que comer e um trabalho que traga satisfação. Isso, de acordo com Max Neef, promove saúde física e mental, equilíbrio e bom humor. 
PROTEÇÃO - É tudo aquilo a que o cidadão tem direito, como um sistema de saúde eficiente, segurança de ir e vir. É a sensação de estar protegido, seguro. O que isso gera? Autonomia e solidariedade. 
AFETO E AMOR - Ter amigos com quem contar, familiares próximos ou mesmo um animalzinho para cuidar são essenciais entre as necessidades humanas, de acordo com a teoria do economista chileno. Essas relações aumentam a autoestima, a tolerância, a receptividade e os sentimentos bons, como a generosidade e a compaixão. 
PARTICIPAÇÃO - É cooperar com o todo, colocar em prática seus deveres como cidadão, reciclando lixo, economizando água ou fazendo alguma atividade voluntária. A participação traz a sensação de estar adaptado ao meio. Gera também solidariedade, entrega, respeito e disposição.
COMPREENSÃO - Quer dizer compreender e ser compreendido. A educação formal ou informal tem peso aqui. Ler, conversar, ter acesso à informação e sociabilizar promove a satisfação, pois com base nisso se desenvolvem consciência crítica, disciplina e intuição.
ÓCIO - Carpe diem literalmente é aproveitar o tempo livre para lazer, sair com a família e os amigos, fazer algo prazeroso. Seja ler um livro, seja viajar para um lugar calmo, o ócio ajuda na criatividade, imaginação e receptividade. E, de quebra, deixa qualquer um mais tranquilo e em paz.
CRIAÇÃO - É fazer aquilo que dá prazer, no trabalho ou nas horas livres, desenvolvendo habilidades e talentos. Por exemplo, descobrir a capacidade de inventar, construir, interpretar ou desenhar. Os resultados são intuição mais apurada e percepção da realidade.
IDENTIDADE - É composta pelo conjunto de valores de cada um: símbolos, linguagem, religião, cultura. Isso traz a sensação de pertencer, de fazer parte de um grupo.
LIBERDADE - É ter igualdade de direitos, poder ir e vir com tranquilidade, respeitar e ser respeitado. 
Texto tirado da revistas Bons Fluidos, Jul/2003 escrito por Ana Holanda

BATATA DOCE ASSADA

Embrulhe algumas batatas doces em papel laminado e asse no forno médio por uns 40 minutos. Abra, descasque, corte em pedaços e ponha por cima um molho generoso de iogurte com curcuma, curry, azeite e shoyu. Não só é delicioso como rende assunto, porque fica difícil adivinhar o principal ingrediente. 

FONDUE DE INHAME

Você lava e cozinha os inhames, calculando entre 2 e 4 por pessoa. Quando estiverem macios (espete com um garfo para sentir), leve à mesa onde já estarão a espera vários potinhos de molho: azeite com shoyu e oregano, cebola no molho de shoyu, pasta de alho com manteiga, mango chutney, rabanetes com azeitonas temperadas, manjericão socado com azeite e alho, iogurte com hortelã e paprica picantes e outros que você pode inventar. 
Para acompanhar isso tudo, uma bela salada crua: alface, rúcula, tomatinho, rabanete, cenoura ralada, brotos. As pessoas vão tirando os inhames das cascas (é só partir ao meio que elas soltam com a maior facilidade) e comendo com um pouquinho de cada molho.  Uma dica para os molhos: para cada colher de sopa de azeite, meia colher de shoyu, meia colher de café de limão e orégano.

sexta-feira, 25 de março de 2016

MOLHO PESTO

O uso mais comum deste molho é com massas. Mas você pode usá-lo também sobre carnes. 
2 dentes grandes de alho, 2 xícaras de manjericão fresco, 1 1/2 xícara de nozes descascadas, 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado, 1/3 de xícara de azeite, sal a gosto. 
Coloque o alho, o manjericão, as nozes e o queijo no processador ou liquidificador. Ligue o aparelho e vá colocando o azeite num fio, gradualmente. Quando todo o óleo estiver incorporado salgue a gosto. Rende 3/4 de xícara aproximadamente. 

MAIONESE DE ALHO

Este é um molho frio que você usa nos recheios de sanduíches ou sobre legumes cozidos ou carnes
4 dentes grandes de alho, 1 gema, 1 xícara de azeite, sal a gosto

Descasque e corte os dentes de alho em fatias finas. Coloque numa cumbuca, acrescente a gema e amasse bem com um pilão (se não tiver, use o cabo de uma faca). Qunado a mistura estiver bem integrada, acrescente o sal e mexa bem. Vá colocando o azeite aos poucos, misturando bem sempre.

FRANGO COM ALHO

1 frango de 1,8kg, 2 a 4 cabeças de alho (40 a 60 dentes), 2 limões fatiados, alguns galhos de tomilho, 2 folhas de louro, 2 ramos de alecrim, alguns ramos de manjerona, 3 colheres (sopa) de azeite, 1/2 xícara de farinha de trigo (50g), 2 colheres (chá) de azeite. 
Separe e descasque os dentes de alho. Coloque 3 ou 4 dentes dentro do frango. Pegue uma forma refratária, ponha nela o frango e espalhe ao redor os dentes de alho restantes, as fatias de limão e as ervas. Regue com as 3 colheres (sopa) de azeite. À parte, misture a farinha comas 2 colheres (chá) de azeite, formando uma pasta. Pincele as bordas da forma refratária, coloque a tampa e aperte para selar. Asse em forno médio por 1h45 minutos. Abra a tampa na mesa e sirva o frango com uma colher de dentes de alho para cada pessoa. 

XAROPE DE ALHO E MEL

Bom para gripes, resfriados, dores de garganta, rouquidão e bronquite

1/2 litro de água, 1 cabeça média de alho (aproximadamente 50g), 1 colher (sopa) de vinagre de maçã ou de arroz, 2 xícaras de mel.
Ferva a água. Descasque, corte os dentes de alho em fatias finas e coloque-as num recipiente (de vidro, porcelana ou louça). Despeje a água fervente, tampe bem e deixe descansar por 10 horas. Aí acrescente o vinagre e depois o mel, misturando bem. Se necessário, adicione mais mel para dar consistência de xarope. Adultos podem tomar 3 colheres (sopa) ao dia e crianças, a metade dessa dose. 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

A LIÇÃO DE ANATOMIA DO TEMÍVEL DR. LOUISON

Eis aqui um livro nacional que descobri em um evento literário que houve me Foz do Iguaçu ano passado. Por algum motivo estranho, só se fica sabendo de livro nacional em feiras. E eu confesso: acho difícil comprar livros nesses eventos. Isso porque eu conheço os autores e depois fico com medo do que vou achar do livro. E se eu não gostar? É por isso que também fico super ansiosa se alguém quer o meu livro. Tipo vai que alguém encontra nas entrelinhas alguma falta irreparável de caráter... Rs. Mas estou trabalhando isso. O resultado é que voltei desta feira com quatro livros nacionais sendo este o segundo que consegui finalizar a leitura. 
Durante a feira o autor falava tranquilamente de um universo Steampunk e eu só balançava a cabeça tentando descobrir o que diabos era isso. Na verdade, eu já conhecia o gênero de alguns animes e filmes. Só não tinha ligado o nome à figura. Olhei a capa e me lembrei de gibis antigos como os Contos da Kripta e fiquei imaginando o quanto de terror existia naquelas 303 páginas. 
Enfim comecei a ler o primeiro capítulo com bastante receio. Um livro Steampunk com personagens da literatura nacional brasileira e vencedor de um concurso. Os nomes são familiares mas já não lembro muito de boa parte dos personagens literários dos livros obrigatórios de escola. Será que isso seria um problema?
Encontrei logo de cara um nome familiar: Isaías Caminha. Mas parou por ai. Não lembro de onde ele é. Lendo o primeiro capitulo veio o primeiro estranhamento. Uma escrita elaborada nos apresentando a um universo que é o Brasil e não é o Brasil. Aos poucos foi ficando evidente que o meu estranhamento não é só meu. É também do personagem. E nisso nos encontramos. Acabei deixando que ele me apresentasse suas estranhezas e quando nos tornamos bons amigos, ele se despediu! 
Fiquei muito brava. Como assim? Dei um tempo na leitura. Fui tomar um sorvete. Ai voltei e curiosa reiniciei de onde parei. E então entendi. 
O livro não é um livro com uma única voz. É um coral de vozes, de personagens, de sentimentos que vão se apresentando como um mosaico permitindo ao leitor que como um cúmplice vá construindo a ideia completa. A genialidade da escrita está aí. Pegar uma história comum e reeditá-la de uma forma tão original que aos poucos as vozes vão ganhando rostos e você se sente como um investigador tentando desvendar um crime. 
Para os que gostam desse gênero de escrita, sinta-se desafiado a vivenciar esse estranhamento divertido que é a leitura dessa obra nacional. Um livro realmente diferente!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

TORTA DE ESCAROLA COM ATUM

Ingredientes: 2 maços de escarola; 1 lata de atum; 1 cebola; 2 xícaras de farinha de trigo; 1 xícara de leite; 1 xícara de óleo; 4 ovos; 2 colheres de chá de fermento químico; 100g de parmesão ralado; sal a gosto. 

Rende 1 assadeira média e leva mais ou menos 1h40 para fazer. Pode ser servido como lanche da tarde ou como um prato para festinhas. 

Preparando a massa: Coloque em um liquidificador a farinha, o leite, o óleo, o fermento, os ovos e o queijo. Bata todos esses ingredientes e reserve. 

Para o recheio:
1) Em uma panela, forre o fundo com um pouco de óleo para refogar a cebola picada. 
2) Coloque a escarola picada e o sal. Vá mexendo para não queimar.
3) Depois que estes ingredientes reduzirem pela metade, acrescente o atum, sem escorrer a água. Mexa por mais dois minutos e retire do fogo.

Preparando a torta
4) Em uma assadeira ou refratário untado, coloque metade da massa.
5) Espalhe por cima o recheio
6) Coloque o restante da massa por cima e espalhe de maneira uniforme. Leve ao forno pré-aquecido em temperatura alta. A receita original indicava 1 hora mas com meia hora a minha já estava pronta. Espete com um palito para ver se está pronto.