terça-feira, 13 de março de 2012

CHRISTIAN BOLTANSKI

Seu estilo único, o material e o assunto focalizando temas de morte fizeram de Boltanski um dos artistas mais aclamados de nosso tempo. 
 Suas obras incluem vitrines de vidro contendo memórias de infância, esculturas denominadas "Sombras" feitas de sucata iluminada por velas, e espaços de roupas, que ele também chama de "Reservas".
 Esta instalação em grande escala consiste em duas paredes de latas de biscoitos e uma série de fotografias em preto-e-branco extraídas de obituários de um jornal local, fracamente iluminadas por lâmpadas elétricas fixas. Sensações intensas de vida e morte são evocadas por essa capela em memória dos mortos, com sua atmosfera quase religiosa de paz e quietude perpétuas. Aqui, utilizando imagens de suíços - um povo mais associado à neutralidade do que a um destino específico e terrível - Boltanski enfativa a universalidade da mortalidade.
 Em obras anteriores, Boltanski (Paris 1944 - ?) havia usado fotografias de crianças judias.



Nenhum comentário:

Postar um comentário