segunda-feira, 10 de setembro de 2012

PORCO ROSSO

Para quem curtiu A viagem de Chihiro, vou falar dessa antiga animação de Hayao Miyazaki. Porco Rosso significa Porco Vermelho em italiano.

O tema não é muito fácil de explicar. Fala de pirataria aérea nos anos 20. E mais, carrega forte na fantasia. Nosso herói é Marco Porcellino, um simpático porcão de bigodes castanhos, sobrevivente da força aérea italiana na Primeira Guerra Mundial. Marco é uma espécie de herói por encomenda: de vez em quando ele é chamado para ajudar navios indefesos atacados por piratas aéreos. Ele vai, vê e vence - e cobra caro por isso. 
As coisas começam a ficar pretas pro lado dele quando Mamma Aiuto, um desses piratas vencidos, consegue convencer um americano chamado Donald Curtis a ajudá-lo a acabar com Marco. Curtis, mulherengo e dono de um velocíssimo hidroavião novo, topa o negócio e ataca Marco à traição, derrubando-o no mar. Curtis acredita que matou o Porquinho e feliz da vida vai dar as boas novas a sua amada Gina. Mas dá com os burros n'água: Gina, conhecida como "a Rainha do Mar Adriático" e viuva três vezes de pilotos de hidroavião, está apaixonada por Marco. 
Mas Marco não morreu e tem um trabalhão para consertar seu avião. Para sua surpresa, a projetista-chefe de seu novo avião é Fio, menina de 13 anos, neta de seu mecânico de confiança. Escandalizado, o Porquinho não quer topar, mas é convencido pela garota a dar-lhe uma chance. E não se arrepende: ela é uma projetista e tanto! Aí surgem os problemas. Primeiro: Marco não tem dinheiro para pagar o projeto. Segundo: o avião é bom - no papel. Para saber se a coisa presta mesmo e dar a necessária assistência técnica, Fio tem que ir junto com ele. Marco chia, reclama, bufa, mas, que jeito? A menina é durona e vai. Atocaiado pelos piratas sedentos de vingança, Marco escapa graças à intromissão de Fio e Curtis, que pede a guria em casamento na primeira visada! Fio, nada boba, propõe um duelo aéreo: se Marco vencer, Curtis paga as contas penduradas. Se Curtis vencer, ela... casa-se com ele!
É aí que descobrimos quando Marco transformou-se num porco. Na Primeira Guerra, integrava um esquadrão ao lado de seu melhor amigo, que por acaso era marido da bela Gina. Num pega com os alemães, seu amigo morre. Aliás, morre todo mundo, menos ele, Marco, que só escapa por milagre. Antes de cair no mar, ele ainda consegue ver os espíritos dos pilotos mortos subindo com seus aviões como numa procissão de anjos. 
Quando volta, Marco deixou de ser humano e virou um porco. Por quê? Talvez seja uma metáfora para o seu estado de espírito, sentindo-se um verdadeiro traidor por não ter morrido com seus amigos, por ter voltado inteiro de uma guerra onde tantos morreram. Talvez seja essa sua mutilação. 
Mas não é só de ação e hidroaviões que este anime vive: ele é o retrato de uma época, com todos os detalhes históricos devidamente pesquisados. A década de 20 é retratada com perfeição, o que deixa um gosto de nostalgia em quem assiste. Até cenas da ascensão do Fascismo na Itália é mostrado. 
Este não é exatamente um desenho feito para crianças. É claro que ele foi elaborado para o público adulto, algo comum no Japão. Então, para os fãs de Miyazaki, um desenho antigo para adultos que apreciam uma fantasia leve e poética. 

Adaptado de texto retirado da extinta revista Animax. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário