domingo, 3 de fevereiro de 2013

SAMURAIS

As armaduras eram enormes e imponentes, feitas de ferro, couro, madeira e seda. Os capacetes exibiam chifres ou formas de criaturas medonhas. A aparência dos samurais, guerreiros do Japão medieval, era amedrontadora. Mais ainda porque vinha precedida por sua fama. Esses ferozes e exímios espadachins, com coragem e frieza, lutavam com a firme determinação de vencer... ou morrer. Mas, fora do combate, exibiam sua outra face: eram homens altamente espiritualizados e de sensibilidade refinada. 
É uma complexa combinação de bravura e caráter, de compaixão e implacabilidade, que torna fascinantes esses lendários personagens. Um encantamento que hoje estimula a procura pelas antigas artes marciais praticadas por esses guerreiros e inspira livros e filmes dedicados a esse tipo de vida e filosofia.
A era desses guerreiros durou de 1192 a 1868, em que o Japão esteve sob permanentes conflitos internos de feudos contra feudos. Os samurais eram responsáveis pela defesa desses territórios, cada um governado por um senhor - o nome, vem de samburau, que significa "servir a um senhor".

ESPADA, A ALMA DO GUERREIRO
A arma inseparável de um samurai era a espada, considerada quase uma extensão do corpo. "Eles eram mestres da arte do kenjutsu, a luta com a espada". Chamada catana, essa arma era a "alma do guerreiro". Forjada em ferro, podia ser usada para matar ou fazer justiça. O mais poderoso samurais de todos os tempos, Miyamoto Musashi, que viveu entre os séculos 16 e 17, criou um estilo de luta com duas espadas, uma em cada mão. 
Mas, por trás do destemor, estavam homens que cultivavam valores humanitários. Os samurais seguiam um rigoroso código de ética e moral, o Bushidô, em cuja base estavam virtudes como justiça, ética, compaixão, lealdade, educação e sinceridade.
Eles não ambicionavam poder ou riqueza. Esse desprendimento tinha origem nos ensinamentos das três religiões que coexistiam no Japão - o budismo, o xintoísmo e o confucionismo - e faziam parte da preparação psicológica e espiritual dos guerreiros. 

POESIA, TEATRO E ARRANJOS FLORAIS
A formação do samurai era complementada pelas artes, que refinavam sua sensibilidade. Eles estudavam poesia (haicai) e caligrafia (chadô), apreciavam o teatro nô e os arranjos florais (iquebana).
Além de meditar, praticavam a cerimônia do chá (chadô). Esse delicado ritual proporcionava momentos de paz e contemplação, fundamentais para se recuperar do choque das batalhas. Nele, também acalmavam a mente e exercitavam a concentração, atributo indispensável aos combates. A desonra era a pior humilhação. "Se capturados pelo inimigo, praticavam o haraquiri, suicídio ritual que consistia em enfiar a espada no próprio ventre.
Nas guerras, os samurais eram conhecidos não apenas pela técnica mas também pelo sangue-frio e pela disciplina. Como naqueles tempos, alcançar isso é hoje uma das partes fundamentais nos cursos que ensinam o kunjutsu e outras artes marciais, como o jiujutsu (a luta corpo a corpo), o jojutsu e a naginata (técnicas de combate com bastões de carvalho) e o iaijutsu (a luta corpo a copor), o jojutsu e a naginata (técnicas de combate com bastões de carvalho) e o iaijutsu (arte de desembainhar a espada com precisão e velocidade). É preciso relaxar a mente para que haja concentração nos movimentos do corpo e no manejo da arma.
SAMURAIS URBANOS
Hoje, as artes marciais dos antigos samurais não são apenas privilégio masculino: as mulheres também são bem-vindas em escolas e curso. No Brasil temos o Instituto Niten que conta com 40 unidades espalhadas pelo país. Saiba mais em www.niten.org.br
Uma das lições dos samurais que deverão permanecer ainda por muitas gerações: a importância de desenvolver a coragem e a perseverança, de cultivar a compaixão e, antes de tudo, de ser afiado e justo... como a lâmina da espada.
Texto adaptado de Wilson F. D. Weigl com informações de Marcelo Neje retirado da revista Bons Fluidos.
Para saber mais:
Livros: Musashi, de Eiji Yoshikawa; Bushidô, o Código do Samurai de Daidoji Yuzan e O Livro dos Cinco Anéis de Myamoto Musashi, Shogun de James Clavell.
Filmes: Rashomon, Os Sete Samurais e Ran de Akira Kurosawa. Também tem um anime chamado Os Sete Samurais e Rurouni Kenshin. 


2 comentários:

  1. Que legal essa matéria, quero ser um samurai e ter uma espada igual a do Kenshi hehe

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom aí vc vai ter de aprender a cortar balas no ar senão não vai ter função com essa onda de violência. :p

      Excluir