segunda-feira, 23 de abril de 2012

ANGELO AGOSTINI

Angelo Agostini nasceu em Vercelli, no Piemonte, Itália, em 1843, e passou a infância e a adolescência em Paris, com uma avó francesa. Chegou a São Paulo em 1859, com a mãe, uma viúva, cantora lírica em turnê. Começou a trabalhar como desenhista na revista Diabo Roxo em 1864 e, em 1866, tornou-se colaborador da revista O Cabrião. Em 1867 fez suas primeiras histórias ilustradas, como As Cobranças. 
No mesmo ano de 1867 mudou para o Rio de Janeiro, então capital do Império. No ano seguinte, começou a ilustrar as revistas locais Vida Fluminense e O Mosquito. No dia primeiro de janeiro de 1876 fundou a sua Revista Ilustrada, que dirigiu até 1888. Neste ano, após obter a cidadania brasileira, enamorou-se de uma aluna de desenho, Abigail. Engravidou-a. Ângelo era casado e tinha dois filhos. Um escândalo, à época. A fim de partir para a França, vendeu sua Revista Ilustrada. Em Paris, nasceu sua outra filha, Angelina. 

No Rio, sua primeira historieta com personagem fixo surgiu na Vida Fluminense, no dia 30 de janeiro de 1869. O título era: As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte. Fez nove páginas duplas e depois deixou a revista. 
No número 331 de sua Revista Ilustrada, Angelo Agostini iniciou As Aventuras de Zé Caipora, criando outro personagem seriado, inicialmente no dia 27 de janeiro de 1883, com o subtítulo "Zé é Convidado a Jantar na Casa da Baronesa de...", sempre em duas páginas, mas com muitas interrupções. Publicou até o capítulo 35, quando teve de partir para a Europa em 1888.
De volt, na revista Dom Quixote publica de novo as trinta e cinco páginas duplas, começando em 25 de janeiro de 1895. Quando termina a revista Dom Quixote, trabalha na editora O Malho. Esta editora lança, no dia 11 de outubro de 1905, a revista O Tico-Tico.

Ainda em O Malho, publica outra vez Zé Caipora até o número 75, no dia 15 de dezembro de 1906, quando suas histórias ilustradas desaparecem para sempre. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário