sexta-feira, 20 de abril de 2012

WILHELM BUSCH

Tal como o suíço Töpffer e o francês Colomb, um dos precursores dos quadrinhos. 

JUCA E CHICO ou MAX UND MORITZ no original (1865), de Wilhelm Busch. Foram seus personagens mais populares. 



OS SOBRINHOS DO CAPITÃO, de Dirks, em 1897, são um resultado direto desta criação do poeta, pintor e cartunista alemão nascido em Wiednsahl aos 15 de abril de 1832 e falecido em Mechtshausen em 9 de janeiro de 1908.

 No Brasili, foi traduzido por Olavo Bilac e editado pela Melhoramentos. Os dois garotos travessos e aprontadores foram criticados imediatamente pelos pedagogos, como viriam a ser criticadas todas as posteriores criações dos quadrinhos que mostravam crianças terríveis. 
 Mas as crianças-leitoras consagraram os personagens noir, amarelos, vermelhos, azuis, coloridos do mundo criativo dos comics. 
O crítico de arte do jornal Le Figaro, no obituário do artista, escreveu: "Wilhelm Busch foi um dos maiores inventores da síntese cômica que já existiu... Muitos fazedores de desenhos 'simplificados' se inspiraram nele. Infelizmente, não copiaram sua profundidade de observação". Mas, melhor do que tudo, o desenho de Busch ilustra a opinião de Baudelaire de que a caricatura e o riso são "os signos satânicos do homem".

Nenhum comentário:

Postar um comentário