quinta-feira, 12 de agosto de 2010

MUTAÇÕES A INVENÇÃO DAS CRENÇAS

O Sesc da Vila Mariana está com uma proposta muito legal para quem se interessa em como foi construída a nossa visão cultural que tanto influencia a nossa arte. É tudo de graça. O problema é a lonjura: ainda acaba se gastando no transporte. Mas mesmo assim, pra quem puder ir, é bem interessante. Fica na rua Pelotas, 141. Inscrições devem ser feitas pelo porta SESC SP http://www.sescsp.org.br/ ou em qualquer unidade do SESC SP. Informações no E-mail mutacoes@vilamariana.sescsp.org.br e o telefone de contato 5080-3008 de terça a sábado das 10h às 19h. As conferências sempre começam as 19h30.
Veja a programação
13/08 - FÉ E SABER com OSWALDO GIACOIA JUNIOR
A partir da atualidade do problema da invenção das crenças se reportar, como questão filosófica, à oposição entre fé e saber - que encontra uma versão bastante provocativa na filosofia de Friedrich Nietzche - , a conferência buscará explorar muitas das reflexões nietzchianas sobre as relações entre ciência e fé a partir das coordenadas da epistemologia, da moral, da política, da religião e da estética.
18/08 - CIÊNCIA E RELIGIÃO: CRENÇA CONTRA A CRENÇA? com SERGIO PAULO ROUANET
A conferência terá por ponto de partida a distinção tipicamente iluminista entre a crença baseada no testemunho e a baseada no objeto. Como exemplo da primeira, pode-se citar a "autoridade" do testemunho dos apóstolos de que Cristo ressuscitou no terceiro dia. A crença baseada no objeto é que aquela que irá dizer ser a neve branca, ou que "dois mais dois é igual a quatro". O primeiro tipo de crença é o que chamamos de "fé", e só elas podem ser cognominadas de "crenças", no sentido próprio. O segundo tipo pertence ao domínio da ciência. Por último, será discutida a coexistência de um fanatismo religioso que utiliza as armas da ciência e a técnica (terrorismo islâmico) e de uma ciência que prega o ateísmo como se fosse uma guerra santa (Richard Dawkins), bem como a tentativa de "mediação" entre as duas proposições empreendida por Habermas.
19/08 - ARMADILHAS DA HISTÓRIA UNIVERSAL com MARCELO JASMIN
A crença de que a humanidade está submetida a uma história universal parece ter perdido sua naturalidade no mundo contemporâneo. As dramáticas experiências vividas desde a Segunda Guerra Mundial obrigaram à busca de formas alternativas para a orientação do agir que não as inscritas nas filosofias da história. Dado que muitas comunidades sobreviveram e sobrevivem sem a história, tem-se claro que ela não é uma necessidade natural da humanidade e sim uma invenção civilizatória, em nosso caso grega. Assim, a indagação básica que se faz é se poderíamos prescindir de uma crença na força da história.
20/08 - EVIDÊNCIA, EXPERIÊNCIA E CRIAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO com RENATO LESSA
Discursos a respeito da verdade podem se exprimir por meio de três modos fundamentais: o modo da prova, o modo da demonstração e o modo da persuasão, todos a exigirem a presença de modalidades de crença específicas a cada um deles. Será ainda explorado outro modo de fixação da verdade, qual seja a presença da "evidência" como atributo essencial, bem como a natureza das crenças envolvidas nesse ato de crer em uma evidência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário