terça-feira, 25 de outubro de 2011

ESPECIAL BONITO - DIA 1

Bonito é um lugar que já foi descoberto pelos europeus e norte americanos que desfilam diariamente pelas calçadas bem cuidadas do centro da cidade mas parece ainda ser uma novidade para os brasileiros. Para se ter uma idéia, aparece como um dos "1.000 lugares para se conhecer antes de morrer" best seller escrito por Patricia Schultz que atravessou o mundo como guia de referência para viajantes. O que irei relatar aqui é um diário de 7 dias dentro de um pacote comumente vendido pelas grandes agências paulistas. Tivemos a oportunidade de pegar um vôo fretado em uma das aeronaves da TRIP, infinitamente mais atenciosos e cuidadosos que a GOL. Se puder escolher, escolha essa. Não estou ganhando nada pela divulgação viu? O vôo foi direto para o microscópico aeroporto de Bonito que não conta com nada, nem lanchonete, nem ar condicionado. É uma pequena construção no meio do nada ainda cheirando a nova - tem pouco mais que um ano que foi inaugurada - porém que poupa nos dias claros o passageiro de descer em Campo Grande e vir por via terrestre até a cidade. Totalmente voltada para o ecoturismo que já se tornou a principal fonte de renda do município, Bonito já conta com uma estrutura capaz de receber o turista, mas não se engane. Os preços são realmente altos. Logo no primeiro dia após nos acomodarmos no hotel (existem inúmeros hotéis, pousadas e inclusive um Albergue da Juventude no lugar). Para curtir a noite que vai longe o melhor é ficar no centro próximo à Avenida Pilad Rebuá já que o município não conta com ônibus e o táxi é muito caro. Se tiver mesmo de pegar um transporte, peça por um moto táxi, forma mais comum do pessoal se locomover por lá. O trajeto sai por aproximadamente 4 reais saindo de qualquer ponto da cidade.



No primeiro dia, logo após a chegada e acomodação fomos levados para a Praia das Figueiras. Um rio com cara de praia e toda uma infra estrutura montada.


A enorme figueira que dá o nome à praia acabou sendo aproveitada como redário já que oferece uma sombra bem convidativa ante o sol escaldante.

Neste "praia" já podemos ter uma breve idéia de como irão ser os outros dias. Neste lugar temos a tirolesa...

Bóias e a oportunidade de banho em águas cristalinas.


E os peixes que irão nos acompanhar por toda esta viagem. Estes pretos são Pacus. As águas de bonito, por conta dos minérios que ela contém, são cristalinas. Isso também a torna um problema para os turistas que não estão acostumados a bebê-la. Desde a chegada somos orientados a só beber água mineral para não ter nenhum desarranjo estomacal. A água pode ser encontrada por 4,50! dentro dos hotéis, 2,50 nas lanchonetes dos passeios e se você tiver um pouco de curiosidade, 1 real em qualquer mercadinho que fique fora da rua principal.

Os fazendeiros locais aos poucos foram adaptando suas propriedades para receber os turistas que começaram a afluir para a região e por isso todos os passeios acabam sendo organizados dentro destas parcerias entre fazenda e agência de turismo. Para boa parte dos passeios nem vale a pena alugar um carro e ir com a cara e coragem. Provavelmente você terá de voltar até a cidade e negociar em uma agência para depois poder participar de um passeio em uma das fazendas.
Apesar de na praia das Figueiras você poder comer alguns lanches e bebidas, o melhor mesmo é aproveitar a culinária na cidade. Em Bonito você terá a oportunidade de comer muito peixe, mas também terá a chance de provar carnes exóticas como a de jacaré ou capivara. Existem muitas pastelarias pela cidade. Os preços módicos ficam nas ruas paralelas à avenida principal. Mas se o que você quer é provar um recheio exótico, esta pastelaria oferece um pastel de jacaré com molho agridoce de guavira, uma fruta nativa da região, que é muito gostoso apesar do preço (se não me engano algo em torno de 10 reais). Se você dobrar a esquina desta pastelaria em direção à praça irá encontrar a Casa da Tapioca, com tapiocas gigantes e com um suco que realmente vale o que você paga. Praticamente 4 reais por dois copos. O suco de guavira (fruta típica) é obrigatório se você quer conhecer os sabores da região e o dono do estabelecimento está sempre disposto a dar dicas sobre a região.


Nenhum comentário:

Postar um comentário