segunda-feira, 10 de outubro de 2011

QUEM FOI LEWIS CARROLL


Austera, obstinada, virtuosa, subiu ao trono da Inglaterra, em 1838, Alexandrina Vitória, que implantaria um estilo marcante de governo durante os 63 anos de seu reinado. O povo inglês sofria ainda as conseqüências negativas da Revolução Industrial (1780): o abandono do campo pela cidade sujeitava o homem a baixos salários; a classe operária exigia maiores direitos e garantias diante das brutais condições de trabalho das fábricas recém-criadas e lutava pela sua representação no Parlamento, recorrendo a agitações e revoltas; e, finalmente, a superprodução de mercadorias não absorvidas pelo mercado interno havia levado o país a uma profunda depressão econômica.
Assessorada por uma elite de políticos e economistas brilhantes, a rainha Vitória, movida pela pressão dos acontecimentos, transformaria a Inglaterra no maior império colonial depois de Roma, através de conquistas e domínios nos cinco continentes.
Enquanto isso acontecia, o jovem Charles Dodgson, filho mais velho de uma família relativamente abastada, entretinha seus sete irmãos com jogos e passatempos criados por ele mesmo. Nascido na pequena cidade de Daresbury, próxima de Manchester, em 1832, o aparentemente dócil Charles preparava-se para seguir a carreira que seu pai lhe apontara: a de membro do clero da Igreja da Inglaterra.
O rigor das escolhas que freqüentou tornou-o gago. Mas os anos passados na Universidade de Oxford foram mais brandos: diplomou-se com louvor e foi convidado a permanecer naquele estabelecimento, lecionando Matemática. Nesse período Charles publicou poemas e contos na revista The train. Foi seu editor que lhe sugeriu o pseudônimo de Lewis Carroll.
Na Universidade, tornara-se amigo das três filhas do novo diretor. Da mesma forma que distraía seus irmãos quando pequenos, Lewis Carroll cativou-as contando-lhes histórias imaginadas por ele mesmo. Tímido e retraído entre adultos, estava sempre à vontade no meio das crianças. Sua predileção por Alice - uma das três irmãs - levou-o a contar-lhe uma história em que ela própria era a personagem principal. Alice, encantada, pediu a Carroll que escrevesse essas aventuras para ela. O pequeno volume ilustrado e escrito por ele foi lido e relido por todos os amigos de Alice. Em 1866, Carroll resolveu publicá-lo com o título de Alice no País das Maravilhas, e alguns anos depois escreveu Através do espelho e o que Alice encontrou lá: ambos descrevem aventuras vividas por Alice enquanto sonhava.
Em meados deste século, Freud, o pai da psicanálise, realizou as primeiras pesquisas sobre a natureza do sonho. Seu discípulo Jung acrescentou, mais tarde, novas e importantes informações nesse campo. Desde então, a ciência não avançou muito nos seus estudos sobre o sonho. Sabe-se, porém, que a intensa atividade cerebral durante o sono indica que todos sonhamos e que isso é indispensável à nossa saúde mental. Ao criar situações e personagens absurdas, Lewis Carroll tornou-se o primeiro escritor a trabalhar comas peculiaridades do mundo onírico, onde tudo é possível e os acontecimentos são sempre imprevisíveis. Nele, o Tempo pode adiantar a hora do almoço, a Rainha condena as criaturas à morte mas ninguém é executado, os animais convivem em condições de igualdade com os seres humanos.
Desde a sua publicação, filósofos, psicólogos e estudiosos de literatura têm se dedicado a analisar a obra-prima de Carroll. E embora as conclusões sejam muito diferentes entre si, há mais de um século admira-se o talento original e sensível do criador de Alice, que procurava na linguagem convencional novas e desconcertantes possibilidades de expressão. "Cuide do sentido e os sons das palavras cuidarão de si mesmos" - diz a Duquesa a Alice, numa das passagens do livro, exprimindo, com certeza, um ponto de vista do próprio autor.
Carroll publicou ainda, com seu nome de batismo - Dodgson - obras didáticas sobre matemática e lógica, tratando essas ciências frequëntemente sob o prisma do humor.
Morreu em Guildford, no sul da Inglaterra, em 1898, feliz com a montagem teatral das aventuras de Alice no País das Maravilhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário