quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ESPECIAL BONITO - DIA 2



A Gruta do Lago Azul se tornou famosa no mundo todo após a visita de Jacques Cousteau pelo Brasil. Antes de se dirigir para o Amazonas ele explorou esta Gruta tentando descobrir sua profundidade o que se revelou tarefa impossível. Toda a área de Bonito está sobre a maior reserva de água doce do mundo e foi impossível chegar ao fim do lago. No entanto, graças a esta visita foi descoberta a presença de uma nova espécie de camarão albino que só existe nesse local, e com isso, o mergulho foi proibido na área. Normalmente este passeio está incluído no pacote e se recomenda uma roupa confortável para se fazer a caminhada. Durante os meses de Novembro e Dezembro o sol incide dentro da caverna causando um efeito luminoso muito bonito. Leve sempre um repelente de insetos, daqueles em spray, para não ter problemas e também use sempre o bloqueador solar. Como sempre tem uma brisa soprando, pelo menos no mês de Outubro, não é incomum se esquecer do sol forte. 

Iniciamos a descida até a gruta por uma trilha.
E aos pouquinhos ela vai aparecendo.

E você vai descendo e descendo e quando finalmente se lembra de olhar pra cima percebe que está dentro de uma caverna. 
Aos poucos a luz e as formas das rochas vão criando formas.

Já no alto se pode olhar para baixo e ver a água azul. O azul é de fato um efeito óptico. Mas é ele que dá o nome à gruta.



Finalmente você chega ao fundo onde tem a inglória tarefa de tentar regular a máquina para que ela consiga pegar toda a beleza do lugar.


 O que se recomenda é deixar a câmera no módulo crepúsculo ou noturno para se conseguir as cores como estas de baixo. Acredite ou não as duas últimas fotos aqui são do mesmo lugar.
Esse lago tem mais de 80 metros de profundidade mas a água é tão transparente, que dá a impressão que é muito rasa. O passeio pela Gruta do Lago Azul toma toda a manhã. No período da tarde é feita a Saída de Bote pelo Rio Formoso que também geralmente vem incluído no pacote. Neste dia eu fiquei sabendo que é possível se alugar câmeras aquáticas (a mais barata é 35 reais) ou comprar a capa para a sua própria câmera (uma capa de plástico dura que deixa as imagens batidas um pouco turvas e que podem custar de 35 a 50 reais). Se preferir, também somos acompanhados por fotógrafos que batem todas as fotos e depois editam e enviam para o hotel ou pousada mediante o valor de 50 reais.  O passeio é feito em botes de borracha para até 12 pessoas, em percursos de 06 km pelo Rio Formoso, passando por 3 cachoeiras e 2 corredeiras. Não chega a ser um rafting pois as águas são muito calmas. Nas margens do rio, se você tiver sorte, poderá avistar macacos, pássaros e até sucuris, que no inverno saem das águas e se enrolam nos troncos de árvores. O passeio termina na Ilha do Padre onde você pode, com alguma sorte, encontrar araras e macacos, além de algumas cachoeiras.






E assim terminamos o segundo dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário