quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

LEONARDO DA VINCI E O CAVALO


Leonardo da Vinci, em seus incontáveis estudos sobre o mundo, sempre considerou o cavalo como a máquina mais perfeita que a natureza foi capaz de gerar.

O talento artístico de Leonardo já é de reconhecimento universal, porém, o que pouca gente sabe é que Leonardo era também um excelente empresário.

Foram poucos projetos seus que ficaram inacabados se comparados aos demais pintores da época.

Talvez um dos maiores "fracassos" de Leonardo seja a obra de um imenso monumento equestre e para Francesco Sforza.

Ele iniciou seus estudos sobre cavalos que resultaram nos esboços que ainda hoje são admirados por sua precisão e simetria. Setenta toneladas de bronze foram separadas para a sua confeção. O monumento permaneceu inacabado por muitos anos.

Em 1492 ele conseguiu terminar o modelo de argila, duas vezes maior que as duas únicas estátuas equestres do Renascimento, a estátua de Gattemelata, em Pádua, e a de Bartolomeo Colleoni, de Verrocchio, em Veneza. Foi dado o nome temporário de "Gran Cavallo".

Leonardo começou a fazer os projetos detalhados para a fundição. Michelangelo, no entanto, afirmou que Leonardo seria incapaz de fazê-lo, já que era uma tarefa difícil para a tecnologia da época um monumento em tais proporções.
Antes porém que ele pudesse dar cabo de seus projetos a guerra estourou em 1494. Para defender a cidade, Ludovico usou o bronze da obra para fabricar canhões. Os moldes de argila foram usados como alvo para praticar tiro. A Leonardo restou fugir da cidade. Para a humanidade, ficaram os esboços que até hoje são referenciados por sua precisão e simetria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário