quinta-feira, 30 de junho de 2011

MITOLOGIA - A TERCEIRA GERAÇÃO

Esta é a geração mais importante de Deuses cujas peripécias encantam o mundo até hoje. Tudo começou com Zeus, o pai dos Deuses. Zeus era filho de Réia e Cronos. Para salvá-lo do mesmo destino que o de seus irmãos, que eram devorados pelo pai assim que nasciam, Réia, com a ajuda de Gaia, entregou ao deus glutão uma pedra, preservando a vida de seu caçula. Quando ficou mais velho Zeus travou uma batalha contra o seu pai e seus aliados, os titãs. Esta guerra ficou conhecida como Titanomaquia. Durante esta guerra, com a ajuda de Métis, filha do titã Oceano, único que não se envolveu na guerra, Zeus entregou uma poção para o pai e este regurgitou cada um dos filhos que havia engolido: Poseidon, Hades, Hera, Deméter e Héstia. Com a ajuda dos irmãos Zeus finalmente derrotou Cronos. Esta é a parte mais complicada. Cronos era o deus do Tempo. Quando Zeus derrotou Cronos, ele próprio se tornou o tempo. Com isso ele se tornou o pai de TODOS os deuses, inclusive os que haviam nascido antes dele. Zeus era um deus fertilizador. Teve inúmeros filhos com imortais e mortais.

Quando Cronos foi destronado, Poseidon, Hades e Zeus dividiram seus reinos em três. Zeus ficou com o Olimpo, o céu e a terra. Hades com o mundo subterrâneo e Poseidon com os mares. Poseidon era um deus temperamental. Teve, como o irmão caçula, muitos casos fora do casamento. Chegou a se rebelar contar o irmão em uma guerra mas acabou derrotado. Como os gregos eram muito dependentes do mar em suas navegações, Poseidon se tornou um deus quase tão poderoso quanto Zeus.
Héstia era a deusa dos laços familiares. Foi a primeira filha de Cronos e Réia. Apesar de não contar com muitas histórias, Héstia era uma deusa muito respeitada, pois representava a estabilidade familiar. Sua chama sagrada brilhava continuamente em lares e templos. Solicitou e foi agraciada por Zeus o direito de permanecer virgem e viver eterna e placidamente em seu castelo.
Hera era irmã e também se tornou a esposa de Zeus. Uma tarefa inglória levando-se em conta os inúmeros casos extra conjugais do marido. Era a deusa do casamento. Por ciúmes, perseguia implacavelmente as amantes e os filhos dessas, sendo daí que saíram suas histórias mais memoráveis. Já que era comum aos deuses se unirem e se separarem, algo que pode ocorrer é o porque de Zeus nunca haver se separado de Hera. Existe uma lenda misteriosa que relataria que ela conheceria um segredo capaz de fazer o grande deus do Olimpo perder o seu trono.
Perto de seus irmãos, Hades é um deus até comportado. O deus da Morte teve poucas amantes. Apesar de ser conhecido por seu reino funesto também era muito reverenciado pois se acreditava que era ele quem controlava os tesouros que existiam sob a terra. Os gregos evitavam chamá-lo pelo nome, considerando o fato de mal augúrio. A história do casamento de Hades é o seu conto mais famoso. Deméter, sua irmã, a deusa da agricultura e das estações teve uma única filha chamada Perséfone. Dizem que Hades se apaixonou por ela a primeira vista e a raptou para o reino subterraneo. Deméter iniciou então uma peregrinação por todos os cantos da terra atrás de sua adorada filha. Enquanto isso, Hades se desdobrava em carinhos para sua cativa, desejando que ela se alimentasse de algo do mundo subterrâneo, pois assim ela ficaria para sempre ligada a ele. Perséfone, que não era de todo imune ao charme de Hades, acabou provando da semente de uma romã.
Deméter infligiu aos humanos, em seu desespero, um período de muito sofrimento e fome. O inverno finalmente chegava ao gregos. Por fim a fonte Aretusa informou a Deméter o paradeiro de sua filha. Indignada, Deméter solicitou a Zeus que obrigasse Hades a devolver-lhe a filha. Zeus diz a Deméter que ela poderá reaver a filha se esta não houver se alimentado de nada no mundo inferior. Como já sabemos, ela havia comido a tal da semente. Mas Deméter também era teimosa. Nenhum grão de colheita brotaria da terra se sua filha não fosse devolvida. O clamor dos mortais congelados chegou aos ouvidos de Zeus e este lavrou um trato entre Deméter e Hades. Por seis meses ela ficaria com a mãe e por seis meses com Hades. Assim quando Deméter está em companhia de sua adorada filha há abundancia (a primavera chega) e quando ela retorna ao submundo o inverno chega para os humanos.
Na próxima postagem vou falar um pouco dos filhos imortais de Zeus que acabaram formando o panteão olímpico dessa famosa geração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário