sábado, 3 de setembro de 2011

CINEMA FRANCÊS

Os franceses têm um estilo todo peculiar de fazer cinema. No final dos anos 50 lançaram a Nouvelle Vague - algo como "Bossa Nova" em português - movimento que marcou a história da cinematografia ao desprezar as regras narrativas e propor filmes intimistas e bastante autorais. E a sétima arte conheceu:

FRANÇOIS TRUFFAUT - OS INCOMPREENDIDOS

JEAN-LUC GODARD - ACOSSADO

LOUIS MALLE - ADEUS MENINOS

ALAIN RESNAIS - HIROSHIMA, MON AMOUR

Estes nomes influenciaram cineastas de todo mundo, do brasileiro Glauber Rocha ao estadunidense Martin Scorsese. Mas se hoje o cinema francês está bem mais acessível do que os laboriosos filmes de Godard, continua a ser um contraponto à indústria cinematográfica que é Hollywood, na qual diretores como

JEAN-JACQUES BEINEIX - BETTY BLUE

GASPAR NOÉ - IRREVERSÍVEL

NICOLE GARCIA - O ADVERSÁRIO

continuam criando obras aclamadas e odiadas, sem muitas concessões à platéia que espera por finais felizes ou fimes-pipoca. Mas isso não é regra, e também é possível se deliciar com comédias de costume como

O CLOSET

com fábulas estilizadas da mais bela cidade do planeta como em

O FABULOSO DESTINO DE AMÉLIE POULAIN

com o instrutivo documentário de um continente gelado

A MARCHA DOS PINGUINS

e até com inspirados desenhos animados.

AS BICICLETAS DE BELLEVILLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário