terça-feira, 20 de setembro de 2011

ODILON REDON

Nesta cena da mitologia grega, Polifemo, o gigante ciclope, espiona a ninfa nua Galatéia, por quem está perdidamente apaixonado. O imenso olho do gigante volta-se desejoso para o objeto de sua devoção.
O CICLOPE
Mais horripilante do que o tratamento um tanto romântico dado ao mesmo tema por Gustave Moreau

GALATEIA por GUSTAVE MOREAU
A interpretação de Redon (França 1840 - 1916) tem uma característica aterradora de pesadelo. Coerente com as teorias simbolistas, Redon estava mais interessado em explorar a psique do que em representar a realidade de maneira direta. Seu objetivo era encontrar uma forma de expressão artística que inspirasse a introspecção e a reflexão do espectador. Sua crença em uma visão interna mágica levou-o à criação de pinturas e litografias imaginativas, com temas fantásticos representando fragmentos de sonhos.

HOMEM CACTO

ARANHA CHORANDO
Redon também produziu paisagens de colorido vibrante e pinturas de flores.

BUDHA
OFÉLIA
Sua obra teve muita influência sobre o trabalho de um grupo de simbolistas mais jovens, que se autodenominavam Nabis. Mas isso já é outra história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário