sábado, 19 de novembro de 2011

WILL EISNER

 Detalhista em suas obras, cheio de preciosismo com seus roteiros, Will Eisner, nascido em Nova York em 1917, morreu em 2005 na Flórida e nunca deixou de retratar os aspectos mais humanos e sombrios de sua cidade de nascimento. Sua obra segue até hoje influenciando gerações  de quadrinistas. 
Filho de judeus imigrantes passou sua juventude em Nova York enfrentando uma época difícil para os Estados Unidos: a grande depressão de 1929 que jogou muitos norte americanos no desemprego. Quem está acompanhando as movimentações em Nova York agora em função dos desempregos e da crise global pode ter uma breve ideia de como se encontrava a cidade nesta época. Era comum o relato de empresários pulando de suas janelas ao constatar a bancarrota da empresa. 
Tendo criado todo um universo de personagens autônomos e famosos como Falcão Negro, acabou se tornando mais famoso por seu personagem Spirit, uma espécie de Batman, um pouco mais limitado, menos espalhafatoso (só usa uma máscara) e mais conectado com a realidade. Spirit é um detetive sem superpoderes que protege os habitantes da fictícia Central City. Antes de tudo, Spirit é apenas um humano cheio de falhas que tenta seguir com sua vida da melhor forma possível o que o torna muito mais próximo do que os tradicionais heróis invulneráveis dos quadrinhos norte americanos. 


 A forma de enquadramentos, efeitos de luz e sombra além de uma inovadora forma de construção narrativa bem próxima da linguagem utilizada no cinema foram as contribuições mais marcantes da arte de Eisner.



E como é que as histórias de Will Eisner são encaradas pelos espectadores brasileiros? Vejam só que curiosa essa reportagem veiculada na rede Globo a respeito das obras de Eisner.



Atualmente está havendo uma exposição com as obras de Will Eisner em São Paulo e esta exposição vai até o dia 18 de Dezembro. Se estiver por perto e se interessar pela área de quadrinhos, esta é uma exposição imperdível. Confira o endereço:

"O Espírito Vivo de Will Eisner" 
Onde: Centro Cultural São Paulo (Piso Flávio de Carvalho -  Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso. Junto à estação Vergueiro do Metrô).  
Quando: Em cartaz até 18 de dezembro (terça a sexta, das 10h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Mais informações: 0/xx/11 3397-4002
Entrada franca 

Nenhum comentário:

Postar um comentário