terça-feira, 8 de junho de 2010

A LINGUAGEM DO CORPO


Dominar a construção visual é, antes de tudo, dominar a simbologia que permeia as relações humanas. Essa construção é anterior mesmo à escrita e faz parte de nossa memória ancestral que começou a ser cultivada ainda nas cavernas. Estudos recentes verificaram que antes de falar o homem já era capaz de uma comunicação refinada através de sinais que não perdem em nada para a linguagem de surdos-mudos que vemos hoje em dia.

Para se tornar mais eficiente na hora de lidar com os clientes e construir imagens de pessoas é interessante se aprofundar no estudo desta linguagem que foi sendo criada ao longo dos séculos.

Para facilitar o processo, vamos dividir o corpo humano em partes para podermos melhor analisá-lo, usando a figura da Esfinge como referência. Tais correspondências psicológicas já foram amplamente estudadas.

Esfinge, para quem não sabe, era um monstro mitológico que resultou no antigo Egito na construção desse monumento visto logo acima. Tinha as patas de leão, corpo de boi, asas de águia e rosto de ser humano. Era irmã de outros monstros como a Hidra de Lerna, o Leão de Neméia, Cérberos e a Quimera. Diz a lenda que ela abordava viajantes com enigmas finalizando a este com a frase: Decifra-me ou devoro-te. Como nunca ninguém adivinhava, ela se tornou um terror na região por banquetear-se com os itinerantes incultos. No fim, acabou sendo derrotada por Édipo que, ao ser questionado por ela:

- Qual o animal que de manhã tem 4 patas, de tarde tem 2 patas e de noite tem 3 patas?

Respondeu:

- O homem. Por que na manhã de sua vida engatinha, na vida adulta caminha e na velhice se apoia em uma bengala para se locomover.

Ao ouvir isso a Esfinge se suicidou atirando-se em um precipício.

Voltando à nossa análise, na Psicologia é comum se fazer a seguinte analogia entre a Esfinge e o ser humano:

  • Boi - abdômen - Vida instintiva e Vegetativa
  • Leão - Tórax - Vida emocional
  • Águia - Cabeça - Vida Mental (Intelectual e espiritual)
  • Homem - Conjunto - Consciência e domínio dos três inconscientes anteriores

Usando estas partes em nosso estudo podemos criar um mini dicionário referente à linguagem do corpo.

BOI

O instintivo humano se manifesta então existe a projeção do abdomen, o requebrar das cinturas, os dedos enganchados nos cintos, etc. De uma forma geral é nesta área do corpo humano que se manifestam os interesses sexuais que são reforçados por outras áreas do corpo. No entanto é ali também que temos as manifestações instintivas de medo irracional, fome, etc.

LEÃO

É na área do leão que está o coração, em nosso imaginário, fonte de todas as emoções. Os especialistas em expressão corporal, no entanto, o consideram o centro do EU. Ou seja, uma pessoa com o torax projetado são pessoas que querem exibir o seu EU para o mundo. Aqueles que tem o torax encolhido tem um EU diminuído, como acontece com as pessoas tímidas e inseguras. Do emocional podemos coletar dados como uma respiração aumentada (tensão, forte emoção), suspiros (ansiedade, angústia), etc. A respiração, porém, pode representar apenas questões fisológicas como excesso de gas carbonico no sangue, por exemplo, então convém ficar atento a outros sinais.

ÁGUIA

Representada pela cabeça (já que o homem não tem asas, rs) ela indica o estado de controle do corpo pela mente. Assim sendo uma cabeça erguida indica uma tendencia de controlar o externo. A cabeça baixa indica o contrário, ou seja, que o individuo é controlado pelos estímulos externos.


Bibliografia:

  • O corpo fala de Pierre Weil e Roland Tompakow, 29ª edição, Editora Vozes.

  • Esfinge, estrutura e Mistério do Homem de Pierre Weil; Editora Vozes, Petrópolis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário