domingo, 3 de julho de 2011

PRIMAVERA

As túnicas diáfanas das Três Graças, as mãos elegantes da Vênus e o vestido florido da Flora contribuem para fazer deste quadro um dos mais belos da Renascença italiana. Ele reflete a primorosa habilidade de desenhista que era fundamental para a arte florentina da época, e as linhas graciosas de Sandro Botticelli (Itália1445-1510) criam uma atmosfera de sensibilidade, quase feminina. Botticelli iniciou sua formação com Fra Filippo Lippi e passou a circular nos meios intelectuais florescentes durante a "época áurea" de Florença. Muitas de suas pinturas envolvem significados filosóficos e alegóricos. Mais tarde, ele se colocou sob a influência de um padre carismático chamado Savonarola, e passou a abordar com menos frequência os temas mitológicos. Botticelli morreu na obscuridade. Foi redescoberto no século XIX, pelos pré-rafaelitas, que admiravam particularmente as linhas delicadas do artista renascentista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário